Laranja

laranja - Agro Campo Vitoria

De todas as árvores frutíferas, uma das mais conhecidas, cultivadas e estudadas em todo o mundo é a laranjeira. Como todas as plantas cítricas, a laranjeira é nativa da Ásia. Embora o local de sua origem seja tema de controvérsias, a idéia popular de que a laranja é uma fruta chinesa, comprovada por seu nome científico (Citrus sinensis), faz muito sentido, pois a primeira referência escrita à laranja apareceu em caracteres chineses, por volta de 2200 a.C. Esse primeiro registro deve-se ao imperador Ta Yu, que preocupou-se em deixar uma memória de conhecimentos agrícolas de seu tempo.

De maneira geral, diz-se que a partir da Ásia, a laranja foi levada para o Norte da África, e daí, para o Sul da Europa, onde teria chegado na Idade Média. Na América, os frutos teriam chegado com os descobrimentos, por volta de 1.500. Desde então, a laranja se espalhou pelo mundo, sofrendo mutações e dando origem a novas variedades.

Durante a maior parte deste período, a citricultura ficou entregue à própria sorte: o cultivo das sementes modificava aleatoriamente o sabor, aroma, cor e tamanho dos frutos.
As pesquisas e experiências para aprimorar os frutos começaram somente no século XIX na Europa, após a divulgação das teorias de Mendel e Darwin. Antes do século XX os Estados Unidos passaram a liderar esforços técnicos no campo da citricultura, criando os maiores centros de produção e pesquisa de cítricos, primeiro na Califórnia e posteriormente na Flórida. Em seus estudos, buscavam melhorar o aspecto, tamanho e sabor dos frutos, além de obter árvores mais resistentes às doenças e ao frio. Foram os americanos os responsáveis pela criação de novas variedades de cítricos, como os citranges, tangelos, orangelos e limequats.

Atualmente, a citricultura é um dos ramos mais avançados da ciência agronômica no mundo, cujo avanço esteve associado a diversos eventos:
- desenvolvimento da biologia nos séculos XVIII, XIX e XX
- desenvolvimento da agronomia nos últimos cem anos
- expansão do comércio internacional
- crescimento do consumo no século XX

Em meados da década de 60, a indústria de suco de laranja foi implantada no Brasil em conseqüência de uma grande geada na Flórida, e alcançou rapidamente um nível tecnológico equivalente ou até superior ao dos países mais adiantados do setor. Na década de 80 o Brasil tornou-se o maior produtor mundial de laranjas, ultrapassando a região da Flórida, nos Estados Unidos.

A maior parte da produção brasileira de laranjas está localizada no estado de São Paulo e destina-se à produção de suco, que é exportado para diversos países tanto na forma de suco concentrado congelado ou na forma de suco não-concentrado.

Fonte: http://www.citrusbr.com/exportadores-citricos/setor/historia-da-laranja-150989-1.asp

tabela_laranja

 

Fonte: http://www.tabelanutricional.com.br/laranja-pera-crua

Dicas

- Evite consumir laranjas muito maduras. Elas devem estar no ponto certo de maturação;

- A vitamina C começa a desaparecer quando a polpa entra em contato com o ar. Portanto, só descasque a laranja na hora em que for consumi-la. Da mesma maneira, não guarde o suco de laranja, mesmo que seja na geladeira. Se a fruta fizer parte da merenda das crianças, retire a casca, mas deixe a parte branca (que funciona como uma proteção);

- Para cortar a laranja, use somente faca de aço inoxidável. Outros metais oxidam a vitamina C;

- Suco da laranja deve ser servido fresco e gelado. Aquecido, ele perde a vitamina C. Por isso, as receitas à base de laranja não podem ser consideradas fontes dessa vitamina;

- Quanto mais ácida for a laranja, maior é o seu conteúdo de vitamina C.